O livro ‘Depois da Avenida Central: cultura, lazer e esportes nos sertões do Brasil’ traz oito estudos sobre diferentes práticas de cultura, lazer e esportes nos sertões brasileiros e a importância das articulações desses campos de estudo.  Organizado pelo professor Cleber Dias, o livro realiza uma análise sobre a cultura, o lazer e os esportes em um Brasil periférico, observando como a organização dos esportes é realizada nesses locais e como cada um deles se manifesta. As investigações permeiam uma natureza plural e perpassam os seguintes espaços: os subúrbios da cidade do Rio de Janeiro (1900 a 1923); o Acre (1907 a 1922) e o desenvolvimento de seu mercado cultural; o interior da Bahia; a cidade de Divinópolis, no interior de Minas Gerais, até o início do século 20; o sertão do São Francisco; o Amazonas, berço do que se diz o maior campeonato de peladas do Brasil; o interior paulista e o futebol das suas áreas rurais; e o Nordeste, em que a interação do futebol articula-se com a identidade regional local. Como afirma o organizador do livro ‘nosso propósito é tão somente reiterar a importância de um olhar voltado para os ‘sertões’, concebido, novamente, apenas como metáfora para a vida social e cultural além do eixo Rio-São Paulo, tentando, assim, colocar novos problemas ou dimensionar os velhos de outra forma, além de anunciar um par de linhas de investigação, que não esgotam o assunto, nem são as únicas possíveis.’ 

Edição: 1 | Ano: 2020 | ISBN: 9788556622600

Depois da Avenida Central
R$49,90
Esgotado
Frete grátis
Depois da Avenida Central R$49,90

O livro ‘Depois da Avenida Central: cultura, lazer e esportes nos sertões do Brasil’ traz oito estudos sobre diferentes práticas de cultura, lazer e esportes nos sertões brasileiros e a importância das articulações desses campos de estudo.  Organizado pelo professor Cleber Dias, o livro realiza uma análise sobre a cultura, o lazer e os esportes em um Brasil periférico, observando como a organização dos esportes é realizada nesses locais e como cada um deles se manifesta. As investigações permeiam uma natureza plural e perpassam os seguintes espaços: os subúrbios da cidade do Rio de Janeiro (1900 a 1923); o Acre (1907 a 1922) e o desenvolvimento de seu mercado cultural; o interior da Bahia; a cidade de Divinópolis, no interior de Minas Gerais, até o início do século 20; o sertão do São Francisco; o Amazonas, berço do que se diz o maior campeonato de peladas do Brasil; o interior paulista e o futebol das suas áreas rurais; e o Nordeste, em que a interação do futebol articula-se com a identidade regional local. Como afirma o organizador do livro ‘nosso propósito é tão somente reiterar a importância de um olhar voltado para os ‘sertões’, concebido, novamente, apenas como metáfora para a vida social e cultural além do eixo Rio-São Paulo, tentando, assim, colocar novos problemas ou dimensionar os velhos de outra forma, além de anunciar um par de linhas de investigação, que não esgotam o assunto, nem são as únicas possíveis.’ 

Edição: 1 | Ano: 2020 | ISBN: 9788556622600