A proposta deste livro é encarar, sob um ponto de vista político, aquilo que ficou conhecido como a Questão Religiosa no Brasil, ou Questão dos Bispos, ou Questão Episco-Maçônica, cujo epicentro se deu entre os anos de 1872 e 1875. Através de documentos primários e pesquisa bibliográfica o texto traça um panorama das posições políticas em confronto. O envolvimento foi amplo – clérigos, maçons, diretamente o imperador, o gabinete ministerial e o Conselho de Estado, a Câmara, o Senado, e a sociedade em geral, tomaram parte desse momento central para a compreensão das relações entre a Igreja e o Estado no Brasil. Com efeito, a Questão Religiosa compõe um capítulo importante da história política que acentuou demandas, clericais e anticlericais, ou, segundo a linguagem ideológica, apresentou o embate entre ultramontanos, regalistas e liberais. Fruto de um trabalho de pesquisa em torno do pensamento político brasileiro, o livro ‘A Questão Religiosa – liberalismo e catolicismo na política brasileira do século XIX’, do autor Luiz Carlos Ramiro Junior, traz importantes reflexões acerca da linhagem política católica, e serve como contribuição para que se possa melhor entender os matizes do conservadorismo e da direita no Brasil.

Luiz Carlos Ramiro Junior é cientista político, professor no Tecnólogo em Segurança Pública UFF/CEDERJ e Coordenador-Geral do Centro de Pesquisa e Editoração da Fundação Biblioteca Nacional. Foi professor substituto no Departamento de Ciência Política da UFRJ e professor da Faculdade de Direito da Universidade Estadual do Mato Grosso (UNEMAT). Bacharel em Ciências Sociais (UFRJ) e Direito (UFF), Mestre e Doutor em Ciência Política (IESP-UERJ). Foi pesquisador Visitante no Max-Planck-Institut für europäische Rechtsgeschichte, em Frankfurt am Main. É membro do Instituto Arrecife e também atua no movimento Rio 2o Distrito Federal.

Edição: 1 | Ano: 2021 | ISBN: 9786586324594

PRÉ-VENDA: A questão religiosa
R$69,90
Frete grátis
Quantidade
PRÉ-VENDA: A questão religiosa R$69,90

A proposta deste livro é encarar, sob um ponto de vista político, aquilo que ficou conhecido como a Questão Religiosa no Brasil, ou Questão dos Bispos, ou Questão Episco-Maçônica, cujo epicentro se deu entre os anos de 1872 e 1875. Através de documentos primários e pesquisa bibliográfica o texto traça um panorama das posições políticas em confronto. O envolvimento foi amplo – clérigos, maçons, diretamente o imperador, o gabinete ministerial e o Conselho de Estado, a Câmara, o Senado, e a sociedade em geral, tomaram parte desse momento central para a compreensão das relações entre a Igreja e o Estado no Brasil. Com efeito, a Questão Religiosa compõe um capítulo importante da história política que acentuou demandas, clericais e anticlericais, ou, segundo a linguagem ideológica, apresentou o embate entre ultramontanos, regalistas e liberais. Fruto de um trabalho de pesquisa em torno do pensamento político brasileiro, o livro ‘A Questão Religiosa – liberalismo e catolicismo na política brasileira do século XIX’, do autor Luiz Carlos Ramiro Junior, traz importantes reflexões acerca da linhagem política católica, e serve como contribuição para que se possa melhor entender os matizes do conservadorismo e da direita no Brasil.

Luiz Carlos Ramiro Junior é cientista político, professor no Tecnólogo em Segurança Pública UFF/CEDERJ e Coordenador-Geral do Centro de Pesquisa e Editoração da Fundação Biblioteca Nacional. Foi professor substituto no Departamento de Ciência Política da UFRJ e professor da Faculdade de Direito da Universidade Estadual do Mato Grosso (UNEMAT). Bacharel em Ciências Sociais (UFRJ) e Direito (UFF), Mestre e Doutor em Ciência Política (IESP-UERJ). Foi pesquisador Visitante no Max-Planck-Institut für europäische Rechtsgeschichte, em Frankfurt am Main. É membro do Instituto Arrecife e também atua no movimento Rio 2o Distrito Federal.

Edição: 1 | Ano: 2021 | ISBN: 9786586324594